terça-feira, 6 de março de 2012

SOBRE A QUEBRA O VETO DO PREFEITO

O prefeito mandou o projeto da “mini reforma administrativa, que criava cargos com a denominação de “Função de Confiança”, com as quantidades e porcentagens que especificou: Coordenador, 10 cargos, com a gratificação de 80% do valor de referência do cargo efetivo do funcionário nomeado; Chefe, 20 cargos com 60%; e Encarregado, 20 cargos e 40% de gratificação.

A Câmara, apresentou duas emendas, uma modificando as quantidades de cargos e as porcentagens da gratificação, na emenda a proposta ficou da seguinte maneira: Coordenador, 5 cargos, com a gratificação de 20% do valor de referência do cargo efetivo do funcionário nomeado; Chefe, 10 cargos com 15%; e Encarregado, 10 cargos e 10% de gratificação, essa emenda foi aprovada com o voto contrário do vereador Ricardo Bruno. A outra simplesmente suprimindo o artigo que previa a incorporação escalonada ao salário do servidor, que foi aprovada por unanimidade.

Por sua vez o executivo vetou essas emendas, solicitando que se mantivesse o texto original do projeto.

Ontem na sessão os vereadores quebraram o veto do prefeito, mantendo o texto das emendas.

O vereador Paulo da Elvira discursou falou de vários assuntos, como a proposta de uma moção de repúdio contra o que ele entende como um descaso do Governo do Estado em relação à situação da Polícia Civil do município, que está sem um delegado titular, falou sobre a inauguração do Samu, do aumento do piso salarial para os professores, e o reflexo que isso pode causar para alguns municípios, falou do corte que o Governo Federal fez nos recursos da Saúde, e previu que o município, apesar de ter equilibrado as finanças depois do remédio amargo da não aprovação do Orçamento do ano passado, vai passar por dificuldades em futuro próximo que não permite um aumento nas despesas com pessoal que representa o texto original do projeto de lei de reforma, o que justifica, então, o seu voto contra o veto do prefeito.

O vereador Ricardo usando a tribuna justificou que votaria a favor do veto, apesar do número de cargos, por considerar que em alguns casos alguns cargos passariam a receber menos do que recebem atualmente.

Votaram a favor do veto do prefeito os vereadores Abílio, Fernando e Ricardo e contra os demais vereadores, Luiz do Afonso, Guinha, Paulo da Elvira, Roberto e Sirlei.

Ao final da votação o plenário, na maioria servidores do município, aplaudiu a decisão.

7 comentários:

  1. NÃO ENTENDI NADA! O VETO DO PREFEITO ERA PARA QUE TIVESSE MAIS CARGOS E MAIS GRATIFICAÇÕES, E OS FUNCIONÁRIOS APLAUDIRAM A PERMANENCIA DO PROJETO COM MENOS CARGOS E MENOS GRATIFICAÇÕES? EU HEIN!!

    ResponderExcluir
  2. É que era mais cargos e mais gratificações para servidores mais chegados à cúpula do poder.

    ResponderExcluir
  3. Ahhh! Então este é o motivo de não colocarem os ventiladores numa escola e ligar o alarme da outra (que foi roubada), falta coordenadores, chefes e encarregados enquanto sobra os puxa-sacos para justificar e culpar o eletricista que é peão!!! Acho que faltariam índios para tantos pretensos caciques, é uma INCOMPETÊNCIA quase impar.... Se não envolvesse tantos!!! PARABÉNS vereadores pelo veto, e que os três que votaram por este estropício (Fernando do Zé Augusto, Abílio e Ricardo Bruno) aprendam a ouvir o povo e a não usar do NOSSO dinheiro para fazer cortesia a quem quer que seja.
    Abraços.

    ResponderExcluir
  4. bla,bla,bla,bla,bla.....rsrsrsrsrs

    ResponderExcluir
  5. Você prefere que ninguém faça nenhum comentário não é mesmo "MAARI IDIOTAA"?

    ResponderExcluir
  6. maaarrriiii iiiiddiotta8 de março de 2012 19:44

    bla,bla,bla.bla.....claro que sim, sr amauri, todos devem falar, porém algo diferente...

    ResponderExcluir
  7. como vc quer que comente algo diferente se até o seu pseudônimo não é nada criativo???kkkkkkkkkk

    ResponderExcluir