segunda-feira, 22 de maio de 2017

312 ANOS DE FÉ E ESPERANÇA

Dia de comemoração, pelo menos deveria ser, afinal Bom Jesus dos Perdões, comemora 312 anos de inauguração da Capela, mas temos motivos para comemorar?


Nas redes sociais a moral do perdoense está sendo questionada:

Depois de uma postagem em que uma senhora que luta pela causa animal, reclama da falta de compromissos com a sua causa, tanto por parte de cidadãos como de autoridades, uma pessoa que me permito preservar o nome faz o seguinte comentário:


Eu, por me sentir ofendido, por achar que a pessoa não poderia generalizar, e, por respeito à causa, fiz o seguinte comentário:


Aí uma terceira pessoa postou os seguintes comentários:


Respondi:


Isso mostra que nós não conseguimos alcançar as consequências de permitir o domínio de pessoas medíocres, que não têm consideração nem por si próprias, quanto mais pelos outros ou pela cidade, eles têm o poder de enganar e abusam desse poder se fazendo passar por gente de bem...

Só que infelizmente isso também é consequência de atos e atitudes de pessoas que, cada um pelos seus motivos, não são sinceras e honestas, e que por isso uma hora acabam perdendo sua credibilidade, não conseguem mais obter a confiança dos cidadãos comuns. Até o padre reclama das consequências disso até na Igreja.

Essa é a imagem do município hoje... Temos motivos para comemorar???

sábado, 20 de maio de 2017

PARABÉNS ACÓLITO, QUE O BOM JESUS O ABENÇOE

Tenho um amigo que está completando sua maioridade, só parabenizá-lo, e desejar saúde e energia para realizar todos os seus planos e sonhos é pouco, para um homem de Deus, que traz em si a aura das pessoas de bem. Então desejo que tenha muita paz para cumprir sua missão que é muito especial.

terça-feira, 16 de maio de 2017

HISTÓRIA DE 60 ANOS


Há exatamente 60 anos, no ano de 1957, uma tropa escoteira desfilou na Rua Joaquim Rodrigues dos Santos, em frente ao Santuário do Senhor Bom Jesus dos Perdões (foto), em nossa cidade. Esse feito foi graças ao seu criador, o saudoso Professor Manuel Ferraz, auxiliado pelo amigo Marinheiro, que tem uma Escola Estadual com seu nome em Perdões. E no próximo domingo, abrilhantando o desfile cívico em comemoração ao 312 aniversário do Município (22 de maio de 1705), contaremos com aproximadamente 200 componentes dos 06 Grupos Escoteiros de nosso 18° Distrito Escoteiro de Bragança Paulista, em desfile no mesmo local, sob os acordes da Banda Musical de Perdões e da Banda da Polícia Militar do Estado de São Paulo. Um evento histórico e emocionante, que os pais não podem deixar de levar os seus filhos ou os avôs os seus netos. Quiçá futuramente seja formado o 7° Grupo Escoteiro do Distrito com o Pedra do Coração, num resgate do passado perdoense! Conto com todos.

segunda-feira, 15 de maio de 2017

ALERTA NEBLINA NAS ESTRADAS

Incidência de neblina é maior nesta época do ano e exige atenção dos motoristas

Fenômeno já foi verificado durante as manhãs desta semana nas rodovias do Corredor Dom Pedro

Com o avançar do outono e a aproximação do inverno, a neblina passa a ser um fenômeno bastante comum nesta época do ano e, como diminui sensivelmente a visibilidade dos motoristas, exige um cuidado maior por parte de quem está na pista. Quem circulou pelas rodovias do Corredor Dom Pedro nas manhãs desta semana, já percebeu a diferença.

No Corredor Dom Pedro, os pontos que registram maior incidência de neblina estão nas rodovias D. Pedro I (SP-065), do km 23 (Igaratá) ao km 51 (Nazaré Paulista); Prof. Zeferino Vaz (SP-332), do km 130 (Paulínia) ao km 140 (Cosmópolis); Eng. Constâncio Cintra (SP-360), do km 63 (Jundiaí) ao km 81 (Itatiba); e Romildo Prado (SP-063), do km 0 (Louveira) ao km 15 (Itatiba). Em geral, trechos de serra e baixadas (vales) estão mais sujeitos à ocorrência do fenômeno natural. Os períodos de maior incidência são a madrugada e o começo da manhã.

 “Dois cuidados básicos são fundamentais: reduzir a velocidade e aumentar a distância do veículo à frente. Assim, o condutor terá mais tempo de reação para frear ou fazer uma manobra, se necessário”, explica o coordenador de tráfego da Rota das Bandeiras, Murilo Perez, as medidas que o motorista deve adotar para fazer uma viagem segura.

Para auxiliar os usuários do Corredor Dom Pedro, a Rota das Bandeiras também realiza uma série de ações com o objetivo de mitigar os riscos. Entre elas, a Concessionária tem avisado aos motoristas nos painéis de mensagem variável (PMVs) existentes na rodovia. As viaturas de inspeção, as redes sociais e o serviço de 0800 também são usados para fazer a comunicação dos pontos críticos.

Além disso, a Rota das Bandeiras preparou uma série de dicas para que os motoristas possam minimizar o risco de acidentes quando dirigirem sob neblina.

1. Reduza gradualmente a velocidade ao perceber os primeiros sinais de neblina;
2. Mantenha uma distância segura do veículo à frente;
3. Acenda os faróis baixos – tanto de dia quanto à noite. Não é recomendado manter os faróis apagados, mesmo de dia. Já o farol alto, independente do horário, dificulta a visibilidade pela grande dispersão de luz emitida sob neblina;
4. Não pare o veículo no acostamento;
5. Nunca pare na pista;
6. Não ligue o pisca-alerta com o veículo em movimento;
7. Use a pintura de faixa da pista como referência do caminho a seguir;
8. Fique atento a sinais sonoros externos que possam indicar uma situação atípica à frente como buzinas, sirenes e som de colisão;
9. Deixe a janela aberta, ainda que parcialmente, para ouvir eventuais sinais sonoros;
10. Evite uso de aparelhos que possam dispersar a atenção;
11. Deixe o para brisa limpo;
12. Mantenha o vidro aberto ou ligue a ventilação dentro do carro para não embaçar os vidros;
13. Caso julgue não ter condições de visibilidade para seguir viagem, pare somente em locais seguros como postos de abastecimento.

Em caso de dúvidas, os motoristas podem entrar em contato com a Rota das Bandeiras por meio do telefone 0800-770-8070. A ligação é gratuita e o serviço funciona 24 horas.

Crédito da imagem: Divulgação/Rota das Bandeiras

quinta-feira, 4 de maio de 2017

PARA OS FRACOS, OS BURROS, OS FRÁGEIS

Os medíocres não valorizam quem se opõe a eles, prefere destruir quem pode lhe dar forças...

quarta-feira, 3 de maio de 2017

ANJOS E OUTRAS ENTIDADES

Ontem um anjo passou pelo meu caminho. Em pleno meio dia de sol de outono, alguém gesticulava e falava de forma que de longe eu não conseguia ouvir, me aproximei e o anjo, freneticamente foi falando, me agradecendo, pelo quanto eu o havia ajudado através do blog. Eu, caipira, estanquei sem reação, e o anjo foi falando, como se tivesse necessidade de falar, e eu fui ouvindo, e agradecendo, e tentando acalmá-lo, em poucos segundos me contou sua saga, os obstáculos que enfrentou, e os momentos em que estava sucumbindo, e que através do que acompanhava no blog, encontrava forças para reagir e superar as adversidades, mesmo não comungando a mesma fé que comungo, mas comungando os ideais.

Eu, meio tonto com a enxurrada de sentimentos, só pude dizer, amém, e dar lhe um abraço de agradecimento e amor, aquele amor, que não é esse mundano que é usado pra propaganda comercial, mas aquele que é do tamanho de Deus. O anjo me abraçou, agradeceu novamente e se foi...

Ficou claro que nunca mais, nessa vida, eu iria encontrar com ele novamente, nesse nível, mas ele tem que saber que sua missão continua, e que ele tem muito mais a contribuir para com as pessoas ao seu redor, e como os anjos, tem a quem continuar guardando, acompanhando, e enfrentando outros desafios, até, também, de novo, quase sucumbir e de novo ser resgatado por alguma palavra, por algum gesto, por algum ato de amor.

Eu agradeço por esse anjo ter passado no meu caminho. Me animou, até, a voltar a me dedicar ao contato com as pessoas através dessa ferramenta, que os crápulas, que foi a expressão que usou para se referir às pessoas que vivem nas sombras da maldade, estavam quase conseguindo destruir.

Obrigado Anjo. Mas atente... Eles não merecem que nos deixemos vencer, a vida é muito, mas muito mais...


quinta-feira, 27 de abril de 2017

PARABÉNS ALUNOS DO COLÉGIO SANTA CRUZ

Alunos respondem a professores grevistas


Alunos do ensino médio do Colégio Santa Cruz, em São Paulo, divulgaram uma carta para responder aos professores que aderiram à "greve geral" de amanhã.
É uma carta que deveria ser motivo de orgulho para os pais dos alunos e também para o colégio.
Eis a carta:
Carta em resposta ao corpo docente do Colégio Santa Cruz
Em primeiro lugar, é necessário dizer que temos um profundo respeito pelo corpo docente do Colégio Santa Cruz, que realiza seu dever de nos educar de forma exemplar, e com o qual possuímos muitas ideias em comum. Reconhecemos também que foram esses professores que nos possibilitaram desenvolver as competências necessárias para entrar no debate político e sempre nos deram o espaço para exercermos nossos questionamentos. Apesar disso, seria impossível não nos posicionarmos frente ao que consideramos uma visão equivocada, com prováveis consequências catastróficas para o País como um todo.
Após ler a Carta Aberta escrita pelos professores referente à decisão de paralisação no dia 28 de abril de 2017, sentimos a necessidade de redigir essa resposta explicitando nossa posição. Reconhecemos o direito à greve e à livre manifestação de ideias e entendemos que a Carta justifica a ação dos professores, porém acreditamos que o posicionamento contra a Reforma da Previdência seja profundamente equivocado. Além disso, a Carta passa ao largo das questões centrais envolvidas, apelando para noções generalistas de "justiça social". Pauta-se em um maniqueísmo exacerbado e parte, desde a 1ª linha, do pressuposto de que as reformas propostas pelo Governo Federal são ruins para o país e, especialmente, para os mais pobres. Essa forma de pensar apenas simplifica e empobrece o debate. Com o objetivo de justificar a decisão dos professores, a argumentação esconde-se atrás de uma suposta "proteção de direitos", defende a manutenção do status quo e falha em criticar aspectos objetivos da proposta de reforma. Acontece que um direito ser garantido por lei não garante o orçamento necessário para cumpri-lo. Sendo assim, a Carta defende que se mantenha o rombo crescente da Previdência. Esse rombo foi, segundo dados do próprio Governo Federal, de cerca de 300 bilhões de reais ano passado (5% do PIB), e tende a crescer conforme a população envelhece. Isso impede tanto a estabilidade fiscal como maiores investimentos em outros setores. Em um país que, falando de Previdência, estão postas duas opções: a Reforma proposta pelo Governo ou o sistema atual, defender a segunda opção é usar o discurso da defesa de direitos para, na realidade, defender privilégios. Dentre estes privilégios, há por exemplo o fato de funcionários públicos se aposentarem fora do RGPS (recebendo o equivalente a seus salários anteriores, ignorando o teto de 5.300 reais que vale para todos os outros trabalhadores). Ademais, o modelo atual permite que os mais ricos se aposentem mais cedo, já que têm muito mais facilidade para contribuir para a Previdência, criando casos absurdos e indefensáveis, como o fato de o presidente Michel Temer ter se aposentado como promotor público aos 55 anos de idade.
Não nos enganemos; ir contra a reforma da Previdência é também defender que um funcionário público continue recebendo em média três vezes mais do que um trabalhador regular (Consultoria de Orçamento da Câmara dos Deputados), e que a média de aposentadoria no Judiciário, de 25.700 reais, não seja alterada. Dinheiro esse que poderia ser revertido para outras áreas fundamentais, nas quais o investimento governamental é raquítico, como por exemplo saneamento básico, saúde e educação.
Além disso, o Brasil já gasta uma porcentagem maior do PIB em Previdência do que a média da OCDE, mesmo sendo um país relativamente jovem. Com o envelhecimento do país, que ocorre a passos largos, segundo o IBGE, os improcedentes 13% do PIB gastos pelo Brasil só tendem a aumentar. Não obstante, o número proporcional de pessoas economicamente ativas tende a diminuir. Ou seja, enquanto a expectativa de vida só aumenta e a população em geral só envelhece, parece razoável aos professores que as regras se mantenham as mesmas.
Ao dificultar a aposentadoria por tempo de contribuição, a Reforma Previdenciária contribui para a diminuição da desigualdade no Brasil, visto que, no geral, quem se aposenta antes dos 65 anos são os mais ricos, em decorrência da dificuldade dos mais pobres de serem empregados com carteira assinada de maneira regular. Segundo o DataPrev, o valor médio concedido por tempo de contribuição é de mais de 2 salários mínimos, enquanto o concedido por idade supera por pouco a faixa de 1 salário mínimo.
A posição defendida pelos professores falha em apresentar embasamento técnico e econômico. Defender políticas públicas pautadas em ideais de "justiça" e "defesa dos mais pobres" é meio caminho andado para a irresponsabilidade fiscal. Essa irresponsabilidade fiscal, muito presente nos governos da ex-presidente Dilma, gera inflação, que pune majoritariamente os menos favorecidos. Em conclusão, parece evidente que, apesar das mudanças propostas apresentarem vários defeitos de origem, forma e conteúdo, as reformas em curso conduzidas pelo atual governo estão em geral no caminho correto de um arcabouço regulatório e legal mais moderno que reduz burocracias, fomenta crescimento e principalmente elimina privilégios construídos ao longo de décadas e que são, além de injustos, completamente insustentáveis do ponto de vista das finanças públicas."

terça-feira, 25 de abril de 2017

SUGESTÃO DE MONUMENTOS PARA AS ROTATÓRIAS

Recebi de uma fonte que por motivos óbvios prefere se preservar, um material que, a exemplo da sugestão do jovem Rafael Bueno Porfírio das Chagas, de se fazer um monumento nas rotatórias de acesso da D. Pedro, ele sugeriu trazer aquela imagem de fibra de vidro que tem no trevo de Piracaia, (e eu falei que isso só aconteceria se ela [a imagem] viesse de lá a pé), me mandou uma montagem de uma sugestão que eu coloco aqui por ser criativa, para discussões, além de homenagear a cidade homenageia a Avenida Santos Dumont, também...

segunda-feira, 24 de abril de 2017

DIAGNÓSTICO DRÁSTICO

A professora Zuleide colocou uma enquete no Face que merece uma análise que pode mostrar fatos que caracterizam a situação da nossa cidade:

Bom, até entendo a professora, mas é importante colocar que uma coisa não anula a outra, pois a criação de um grupo de escotismo na cidade não vai, necessariamente, interferir na questão de segurança, pelo menos a curto prazo e a longo o que pode é direcionar nossos jovens a um futuro com menos riscos à violência, ao uso de drogas, etc... Só que o interesse da professora está em minimizar os problemas que o município vem apontando em relação à segurança. Não é só o nosso município, diga-se de passagem, o que não tira a responsabilidade dos gestores de buscar uma solução.

Aumento do efetivo policial é praticamente impossível, pois temos um número de policiais na cidade que permite ter policiamento 24 horas por dia e na grande maioria dessas horas, devido ao pequeno número de ocorrências os policiais permanecem sem muita atividade. O Governo não vai deslocar mais policiais para ficar "coçando" em uma cidadezinha que não acontece quase nada... Seria uma inconsequência, haja vista que faltam policiais onde o número de ocorrências é muito maior...

Uma das soluções seria o programa "Atividade Delegada", que aproveita os próprios policiais militares para trabalharem sem seus momentos de folga, aumentando assim o efetivo em serviço; ou a implantação da Guarda Civil Municipal.

Qualquer das alternativas esbarra em um problema comum: falta de recursos...

Porquê? Porque com a folha de pagamento no nível em que chegou não há possibilidade de a Prefeitura fazer nada... Ou os gestores resolvem isso, ou vamos amargar a paradeira, como vai contratar o que quer que seja se da receita se gasta mais de 50% com salários, pelo menos 25% na Educação, sendo que se deveria gastar no mínimo 15% na Saúde, mas a gestão entrou num ciclo vicioso que gasta mais de 30%, soma isso... Gastando 105% da receita como vai sobrar qualquer coisa para investimento??? Isso é matemática... Isso é física... Isso é fato... Os servidores da Prefeitura foram mal acostumados com as gestões anteriores que não tiveram competência ou interesse de incentivar e fazer com que houvesse produção, pelo contrário, para atingir objetivos que não sabemos quais, promoveram vários concursos, que obrigaram a Prefeitura a admitir os que passaram nos concursos que abriram inscrições para uma quantidade de cargos que foram úteis para compensar a contratação da empresa que realizou as provas, muita gente foi contratada sem que se houvesse a necessidade de contratação, agora é necessário que haja inteligência e pulso para fazer com que os servidores produzam, alguns não tem nem o que produzir, e essa situação contamina os demais que não vão se esforçar enquanto outros não movem qualquer palha, é um ciclo vicioso, pernicioso e caótico, não conseguindo produção os gestores atuais estão achando que têm que contratar mais gente, só que pelo que se percebe, a folha vem aumentando e os serviços não andam... Nada anda...

Existe solução? Existe... Outros candidatos apresentaram em suas propostas preocupação e estratégias para combater essa situação, só que quem foi eleito foi esse grupo que tem, agora de apresentar suas soluções. O diagnóstico está aqui. Espero que consigam aproveitar...