quarta-feira, 27 de agosto de 2014

CORRUÍRA

Canta solitária
seis e meia na manhã.
Só até às sete...

terça-feira, 26 de agosto de 2014

A CERTEZA DO CASTIGO É UMA PIADA

Peguei no site JusBrasil um artigo Luiz Flávio Gomes, que mostra porquê vamos ter que mudar muito a mentalidade do povo brasileiro, ao começar por nossos vizinhos para que o Brasil apresente alguma alternativa de melhora na qualidade de vida:

A certeza do castigo no Brasil é uma piada

Professor de Direito do Ensino Superior Luiz Flávio Gomes

65
Quem faz sempre a mesma coisa do mesmo jeito o tempo todo não pode nunca esperar resultado diferente. A “certeza da punição” no Brasil continua sendo uma piada (o que é lamentável).
Um exemplo (noticiado pela UOL): dos processos criminais que chegaram ao TJ-RJ (Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro), de 2011 até o dia 7 de agosto de 2014, apenas 7,8% foram julgados. No total, foram 4.900 processos. Porém, apenas 382 ações chegaram ao final. Apenas 34% das ações julgadas (132 processos) terminaram com a condenação total ou parcial do réu. As outras 250 ações foram concluídas com o réu absolvido. Não existe a certeza do castigo no Brasil.
Os legisladores demagogos e irresponsáveis, aproveitando-se da emocionalidade repressiva gerada pelo delito na população perdida e impotente, enganam-na em todo momento com a embromação da severidade da pena por meio de “novas leis penais”.
Beccaria, no entanto, dizia que é a certeza do castigo que pode diminuir os delitos. A pena não precisa ser severa ou cruel, basta que seja certa (infalível).
O ano de 2009, se considerarmos a década de 2003-2012, foi o único que reduziu o número de mortes no trânsito no Brasil. Isso se deve à fiscalização intensa após a edição da Lei Seca em 2008. Não foi o aumento da pena que determinou essa redução, sim, a efetiva fiscalização no final de 2008 e começo de 2009. Isso é que faz a diferença. Quando cessaram a fiscalização rigorosa, as mortes retornaram (e chegaram a 45 mil em 2012).
A ONU elaborou um plano de redução pela metade (até 2020) nos acidentes e mortes no trânsito. Muitos países estão seguindo suas orientações e vêm conseguindo êxitos impressionantes. Esse é o caso, por exemplo, do continente europeu (que reduziu as mortes pela metade, nos últimos 10 anos).
Nos últimos 32 anos (1980-2012), o crescimento da mortandade no Brasil (nessa área) foi de 125% no número de mortes absolutas; considerando-se a taxa de mortes por 100 mil habitantes, o aumento foi de 37,5%.
A média de crescimento anual de mortes no trânsito, para este período, é de 2,77%. Faz 32 anos que os óbitos estão aumentando fortemente e não se vê nenhuma política pública radical de prevenção de mortes (é uma prova inequívoca do quanto as políticas públicas não valorizam a vida). As autoridades sempre empurram o problema com a barriga (são, portanto, administradores de mortes, não de vidas).
Para o dia em que o Brasil for um país político-criminalmente sério segue roteiro da redução das mortes: educação de todos, engenharia (das ruas, das estradas e dos carros), fiscalização eficaz, primeiros socorros, punição (império da lei) e conscientização (dos motoristas, dos pedestres, dos ciclistas e motociclistas) (a fórmula é: EEFPPC). Somos reprovados em todos esses itens. O trânsito, o poder público e os motoristas no Brasil estão na contramão da história.

sábado, 23 de agosto de 2014

ALCAGUETAS, DEDO-DUROS

Peguei essa matéria no Blog do Juca Kfouri:


Guilherme Murray tem 12 anos e está disputando o Campeonato Panamericano de Esgrima pelo Brasil, em Aruba, no Caribe, numa categoria, espada, dois anos acima de sua idade.
Hoje ele foi eliminado nas oitavas de final.
Perdeu de 10 a 9.
Mas só porque quis.
Ele ganharia o jogo.
O árbitro deu o toque em favor dele.
O Guiga foi ao árbitro e disse que havia um engano, que ele não havia tocado o adversário.
O árbitro tirou-lhe o ponto.
O menino deixou as pessoas impressionadas com seu espírito olímpico.
Um garoto, no meio dos grandes, que poderia estar entre os oito melhores da América, vai ao árbitro, comunica o erro e é eliminado da prova por sua atitude, ao recusar um ponto que não era dele.
Também fruto dos ensinamentos de ética no esporte que os Mestres Régis Trois, Ricardo Ferazzi e Carla Evangelisti professam na sala de esgrima do Club Athletico Paulistano.
Antes de formarem atletas, se preocupam em formar pessoas de caráter.

Hoje Guilherme Murray, campeão brasileiro, sul-americano, e de tantos outros torneios nacionais e internacionais, saiu de Aruba mais campeão do que nunca.

Esse é um sentimento que está morrendo no nosso país. Como outros, bem mais simples e corriqueiros.

A SOCIEDADE NUMA MESA DE BILHAR
Ontem mesmo, ao intervir ao presenciar uma injustiça, numa jogada de bilhar com um grupo de cidadãos, na happy hour, fui taxado de alcagueta, dedo-duro. A alegação era a de que eu não estava participando diretamente do jogo e que eu não poderia me manifestar. Mesmo se o esquema naturalmente montado para a diversão de todos naquela mesa, não fosse o de participação de todos, a forma de visão da pessoa reflete o pensamento do que tristemente podemos notar que seja maioria, a de que devemos agir de forma a levarmos vantagens em detrimento do que for correto e justo, e que se alguém se manifesta contrário a essa forma distorcida de enfrentarmos a vida em sociedade, está equivocado e é taxado de alcagueta, dedo-duro.

O politicamente correto é mesmo vendo que as pessoas agem de forma desonesta, injusta e equivocada, temos que nos calar, temos que ficarmos omissos e deixar que os espertos continuem a levar suas vantagens.

Essa inversão de valores está fazendo com que os que estejamos perdendo o senso dos valores básicos que nos foram ensinados pelos nossos pais, pelos nossos antepassados e que até está escrito na Bíblia, nós não estamos lendo, e se lemos não conseguimos interpretar o que lemos, os valores não podem se tornar ultrapassados, temos que reaprender a ler para podermos separar com mais segurança a verdade da mentira, o certo do errado, como em um vídeo de um trecho de um filme que está circulando no Facebook, precisamos fortalecer o nosso sistema de crenças, para não nos tornarmos ignorantes como interessa a quem se aproveita disso. E olha que os aproveitadores estão infiltrados nos poderes.

Com isso deixamos de dar valor a quem tem, e supervalorizamos os medíocres.

terça-feira, 19 de agosto de 2014

FESTA DE SANTA ESCOLÁSTICA


AUMENTO PARA UNS

Olha a pergunta da pessoa medíocre que comenta no Blog escondida sob um pseudônimo que expressa o que pensa sobre a cidade e sobre o nosso povo "rarara":

para que letra foi o pessoal da vigilância?
e os enfermeiros?

Depois de ontem os vereadores aprovarem o aumento para um cargo de confiança específico, ela vem se mostrar contrária ao fato de os enfermeiros e agentes da vigilância depois de uma luta de anos, conseguirem um direito, que era o de equiparar os seus ganhos com os pisos da categoria. Não é uma insensatez, como é a insensatez dos que acham que estão ajudando o município aumentando não o salário de uma categoria, mas o salário de um cargo, e ainda de confiança, votaram contra esse aumento os vereadores Xandão, Paulo da Elvira, Raymundo e Rose da Farmácia, os demais acharam justo.


TRÊS FACES DE UMA PESSOA COM CARÁTER DUVIDOSO


segunda-feira, 18 de agosto de 2014

BOLSA FAMÍLIA - O MAIOR CABRESTO ELEITORAL DO MUNDO

Um eleitorado de 40 milhões de pessoas é influenciado pelo programa, que, especialmente no Nordeste, se tornou uma arma eleitoral incomparável
Gabriel Castro e Laryssa Borges

 “Quem de vocês aqui gosta do Bolsa Família levanta a mão?”, brada ao microfone, do alto de um palanque improvisado, o senador Lobão Filho, candidato do PMDB ao governo do Maranhão, na pequena cidade de Barra do Corda (85.000 habitantes). A plateia reagiu imediatamente com os braços estendidos. O candidato continuou: “Isso me preocupa, porque os nossos adversários estão unidos a Aécio Neves, que já disse em todos os jornais e todas as emissoras de TV que é contra o Bolsa Família".
Filho do ministro Edison Lobão (Minas e Energia), que orbita o petismo como representante de José Sarney há anos, o candidato peemedebista convive com Aécio Neves no Senado. 
Os dois são colegas. O peemedebista sabe que o tucano nunca se opôs ao programa – pelo contrário, é de Aécio a proposta para transformar o programa em política permanente de Estado. Mas, nos grotões do Brasil, Lobão Filho utiliza um discurso convenientemente falso. Mesmo um candidato ligado à oligarquia recorre ao discurso de que os seus concorrentes são inimigos do povo por causa de uma oposição fictícia ao programa.
Nas últimas semanas, os candidatos a presidente (especialmente Dilma Rousseff) intensificaram as viagens a São Paulo para tentar conquistar a simpatia do eleitor paulista. A razão é óbvia: o Estado tem 32 milhões de votos, o maior número de eleitores entre as unidades da federação. 
Mas, na disputa deste ano, também está em jogo um "colégio eleitoral" muito mais poderoso – e leal: o dos beneficiados pelo Bolsa Família. São aproximadamente 40 milhões de eleitores, espalhados pelas 14,2 milhões de famílias que recebem o benefício. Esse grupo tende a votar na candidata petista com uma fidelidade incomparável. E, claro, essa arma é utilizada à exaustão Brasil afora, especialmente longe dos holofotes.
Neste ano, a Bahia foi a que mais recebeu repasses do governo federal no programa Bolsa Família: 1,36 bilhão de reais, segundo o Portal da Transparência do governo federal. As maiores cidades do estado são as principais beneficiárias: Salvador, com 113,8 milhões de reais neste ano, Feira de Santana, com 29,2 milhões de reais, e Vitória da Conquista, com 21,9 milhões de reais. 
Há mais beneficiários do programa na Bahia do que em São Paulo, cuja população é três vezes maior. Mais em Pernambuco do que em Minas Gerias. Mais no Maranhão do que no Rio de Janeiro. Isso ajuda a explicar por que o Nordeste se transformou em uma quase intransponível fortaleza eleitoral do petismo. Em 2014, até agora, o governo destinou 10,5 bilhões de reais ao programa
Jailza Barbosa, 33, desempregada, moradora do bairro Cajazeiras, em Salvador, tem dois filhos, de 10 e 15 anos, e recebe 134 reais por mês. “O candidato em que eu vou votar é o do partido que me ajuda por causa do Bolsa Família. Não sei o nome dele, mas já estava com isso na cabeça. O programa é muito bom porque me ajuda e é a única renda que eu tenho hoje”, diz.
O número de beneficiários só tem aumentado: em 2004, eram 6,6 milhões de famílias atendidas. A elevação desde então foi de 215%, muito acima do crescimento vegetativo na população – e se deu num período em que, segundo o governo, dezenas de milhões de pessoas deixaram a pobreza. Os números ajudam a entender o que é fácil de constatar in loco.
Na cidade Central do Maranhão, onde Dilma teve 96% dos votos em 2010, é difícil encontrar alguém que saiba quais são os adversários da presidente Dilma Rousseff. E a razão principal para o apoio incondicional à petista, seja qual for o oponente, é apresentada pelos próprios eleitores. Como o lavrador Carlos Azevedo: “Para mim, a candidata é a Dilma. A gente tem medo de tirarem o Bolsa Família”, diz ele, ao lado da mulher, a dona-de-casa Marinete Viana. Ela diz ter visto na televisão a informação de que os adversários da presidente colocariam fim ao programa.
"Não me interessa saber quem são os outros candidatos", declara Claudilene Melo, que trabalha como doméstica mas também recebe o Bolsa Família.
O cenário eleitoral deve acentuar a importância do Bolsa Família para a candidatura de Dilma Rousseff. A trágica morte do candidato Eduardo Campos e a possível entrada de Marina Silva na disputa devem acentuar, por um lado, a vantagem de Dilma no Nordeste (onde Campos era mais popular) e, por outro lado, tirar votos da petista nas grandes cidades (onde Marina tem um eleitorado mais forte). Como consequência, a tendência é que o PT se encastele ainda mais no Nordeste, onde estão 52% dos beneficiados pelo Bolsa Família (a região tem apenas 27,7% da população brasileira).
"O governo vai se fiar nesses programas de transferência de renda, porque a gerência macroeconômica é débil, a inflação é crescente, o crescimento econômico tem sido pífio", diz o professor Carlos Pereira, da Fundação Getúlio Vargas.
O efeito do Bolsa Família nas eleições de 2006 e 2010 foi objeto da análise de pesquisadores do Instituto de Ciência Política da Universidade de Brasília (UnB). Conclusão: havia uma forte correlação entre o voto no PT e a participação no programa do governo.
Independentemente da postura dos adversários de Dilma Rousseff, a maior parte dos eleitores que recebem o Bolsa Família não arrisca apoiar aquilo que veem como uma aposta duvidosa. Para o jogo democrático, o efeito é desastroso. Se o único critério na escolha do candidato é o Bolsa Família, o eleitor vota sem levar em conta outros temas essenciais, como as políticas para saúde, segurança e o combate à corrupção. “É como se nós tivéssemos voltando para o século XIX, com os currais eleitorais fechados”, diz o professor José Matias-Pereira, da UnB.

Como o número de beneficiários do Bolsa Família cresce continuamente, é cada vez maior o contingente de eleitores que escolhe seu candidato presidencial apenas com base no receio de perder o pagamento mensal. “O coronel local está sendo substituído pelo coronel federal. Mas o padrão é o mesmo: o modelo patrimonialista onde indivíduo usa os bens do estado para se beneficiar politicamente ou em benefício próprio”, afirma o professor da UnB.

domingo, 17 de agosto de 2014

ALÉM DOS OLHOS

No sábado, dia 16 de agosto de 2014, houve na Câmara o lançamento do segundo livro de poesias do jovem Guilherme Moura Brito.






quinta-feira, 14 de agosto de 2014

MAIS VITÓRIAS NO CAMPEONATO PAULISTA DE BMX

Gabriel Rufino mostra garra e acredita até o final da pista e faz uma bela ultrapassagem na linha de chegada e volta pra casa com a Vitória.
Por: Felipe Cassemiro
Foi finalizada nesse último domingo (10) na cidade de Sorocaba a 5º etapa do Campeonato Paulista de Bicicross, mais de 340 pilotos do Brasil inteiro marcaram presença, prestigiando o campeonato mais disputado do BMX. A prova foi muito acirrada, corridas foram decididas na linha de chegada levando o público ao delírio, foi o que aconteceu com Gabriel Rufino o grande destaque de Bom Jesus dos Perdões que fez uma bela ultrapassagem na linha de chegada e se consagrou campeão da etapa na Novatos 13/14 anos.
Mais 14 pilotos de B.J Perdões estava inscritos além da vitória do Gabriel, mais um piloto foi Campeão da etapa, Vicente Garcia a grande promessa do BMX nacional atual Campeão Brasileiro na categoria expert 12 anos venceu mais uma etapa tranquilamente e segue isolado no ranking, outros finalistas foram, Felipe Ramos 6º colocado na Novatos 09/10 anos, Lucas Goncalves 3º colocado na Novatos 11/12 anos, Kaique Ramos pedalou forte e garantiu o 3º lugar na expert 13 anos, na Expert 14 anos Rafael Cassemiro foi o 4º colocado e Gabriel Cassemiro acabou caindo e ficando em 7º lugar, na Expert 15 anos Giovanni Detilli foi o 8º colocado, na Cruiser 35/39 anos Edson Vieira ficou em 5º lugar, e na Elite Men Renato Ferreira ficou em 8º lugar, Marcelo Siqueira Jr caiu na semi final e Fernando Cassemiro e Roney Souza também foram até a semi final. Os pilotos Leonardo Lima e Lucas Barbosa acabaram caindo e ficando de fora da competição.
Associação de Bicicross Racing de B.J Perdões agradece a Prefeitura Municipal, a Secretaria de esporte e lazer e a Secretaria da Educação e agradece também aos apoiadores, Prepara Cursos Profissionalizantes, Penks Vestuários, Bicicletaria Thiagu´s Bike, SLC têxtil, E.P Engenharia de Processo, Rádio Sintonia FM, Jornal Piracaia Hoje, Jornal O Atibaiense, Jornal Cidades e Revista O que.
Mais informações: www.brasilbmx.combr / www.apbmx.com.br